BUILDBOT Blog

Os limites do OpenHardware, quando a pirataria começa

Arduino Pirata“Marca Arduino, Arduino logotipo, design do site e desenho das placas são Copyright de Arduino SA e não podem ser utilizados sem autorização Formal.”

 

A placa que recebe o nome Arduino é fabricada na Itália pela Smart Project e algumas versões são fabricadas nos EUA pela SparkFun e em Taiwan/China pela Dog Hunter. O projeto Arduino teve início em 2005, o pensamento era de que placas eletrônicas pudessem ser acessíveis a todos, principalmente para estudantes que desejavam desenvolver projetos com poucos recursos financeiros.

É um projeto de hardware OpenSource (SHW), isto é, pode ser adaptado, implementado, verificado, refeito, distribuído, sem que seja necessário pedir autorização ou pagar quaisquer taxas aos criadores, utiliza a licença Creative Commons com alguns direitos reservados e o código fonte para a IDE e bibliotecas de funções utiliza GPL v2 (General Public License) armazenado no Google Code.

Isso significa que qualquer pessoa pode construir uma placa Arduino para seus projetos ou vender em sua loja?


Depende de como isso será feito, o conceito OpenHardware é válido para toda e qualquer modificação, contudo a utilização da marca, logotipo e o nome Arduino são de uso restrito da empresa, pois são marcas registradas.

Sendo assim, qualquer placa que não tenha sido fabricada pela empresa italiana ou suas parceiras não deve usar o nome, logotipo e tão pouco copiar o design das placas. Os sites, redes sociais, textos, tutoriais e apostilas também não devem usar o logotipo comercial da empresa.
ArduinoCommunityLogo
Para este último caso, as referências ao Arduino devem ser feitas utilizando o Arduino Community Logo. Essas iniciativas podem utilizar o logotipo que está disponível para download, contudo não serve para uso comercial.

No site do Arduino encontramos instruções para a produção das placas, com toda essa facilidade existem no mercado diversas placas baseadas no projeto, como a Freeduino, Paperduino, Roboduino, Pinguino ou as criações para uso próprio.

Estas placas utilizam o conhecimento adquirido com a documentação, seu diferencial é o design especial para atender uma parcela específica do mercado, esta iniciativa é bem vista e incentivada pelos criadores.

Estas placas derivadas dos produtos Arduino podem ser distribuídas desde que, seguindo algumas regras:

  • O produto não pode conter o nome Arduino;
  • A placa não pode ter Arduino escrito em nenhum lugar dela;
  • A placa não deve copiar o logotipo do Arduino ou design gráfico;
  • O título do site não pode usar o nome Arduino;
  • Pode-se escrever na descrição que a placa é “derivado de Arduino”;
  • Deve-se dizer explicitamente que você não está conectado ao Arduino e seu produto é um derivado;
  • Deve-se especificar que qualquer pedido de suporte técnico deve ser direcionado para você;
  • Na venda de um sensor que é compatível com o Arduino pode-se chamá-lo de “sensor de XYZ para Arduino” e não “Arduino Sensor XYZ”

 

“Normalmente estamos tranquilos quanto aos clones, a não ser que sejam muito descarados, então enviamos um e-mail a eles e, muitas vezes, eles percebem que foram longe demais” ( Massimo Banzi).

Podemos ver que para uma placa ser pirata/falsificada apenas as informações protegidas não devem ser utilizadas, o restante é incentivado. Contudo o que encontramos à venda em diversos sites, como Mercado Livre, eBay e Amazon são produtos que infringem exatamente essa regra. Esses sites não são distribuidores oficiais dos produtos Arduino, não há negociação direta com eles. A prática de venda dos produtos por usuários destes sites vem sendo observada, apontada e desencorajada pelos criadores do Arduino.

Placa Pirata vs Original
Nestes casos distribuidores e fabricantes utilizam o nome Arduino para que os compradores menos avisados pensem estar adquirindo a placa original. Para não ser enganado, caso o cliente não queira recorrer a um distribuidor autorizado, é preciso atentar a alguns detalhes, como:

  • Cor: a original quando exposta à luz branca exibe uma mistura de verde e azul, já as falsificações tem a azul e azul profundo;
  • Fonte: a usada no logotipo e no nome das versões das placas falsificadas são diferentes da original, a letra “O” é a quem mais evidência a diferença;
    arduinofonte
  • Desing in Italy: há um pequeno mapa da Itália na parte traseira das placas, este mapa não tem definição, muitas vezes apenas lembra o desenho original;
    Made in Italy
  • Conexões e Conectores: na placa original as conexões parecem “trançadas” e bonitas, não simplesmente coladas;
    boardtrack
  • Componentes: o componente 501k geralmente é verde nas placas falsas. Ele tem propriedades semelhantes ao dourado-preto da original, somente evidencia a falsificação;
  • Palavra-chave: ao anunciar o produto alguns vendedores utilizam a palavra COMPATÍVEL no anuncio, ou informam no meio do anuncio que não é original, contudo vendendo uma placa idêntica à original;
  • Preço: O Arduino UNO, por exemplo, é vendido no site oficial a €20,00 (vinte euros), levando em consideração que o valor de conversão o valor cobrado pelo Arduino original não é tão alto que justifique a compra de uma falsificação, mesmo com o envio do cabo USB entre outros agrados, pois os “piratas” são vendido em média a R$ 59,00.

Os clientes que desejam apoiar o projeto Arduino devem estar cientes de que os produtos falsificados não dão retorno financeiro a empresa e suas parceiras, nem aos distribuidores oficiais, e raramente ajudam em termos de software ou documentação.

Os custos pagos pela placa mantêm os servidores, hospedagem e manutenção do site, fórum, tutoriais, desenvolvedores de software e hardware para melhoria constante, desenvolvimento de documentação. Financiam certificados como FCC e CE, controle de qualidade e a compensação de carbono, além de outros projetos de código aberto.

Além das placas originais possuírem outras vantagens sobre as falsificadas, como por exemplo, qualidade superior, suporte técnico, a IDE já possuir suporte a ela, ter toda documentação atualizada no site, entre outras.

Este artigo é uma utilidade pública para você que escolheu utilizar hardware livre, mas que preza pela qualidade dos produtos e continuidade da ideologia que os produtos OpenHardware e OpenSource disseminam. Passe à frente as informações, fiscalize enviando email para Arduino original, se possível e, principalmente, utilize produtos de origem comprovada para beneficiar toda a sociedade de hardware e software livre.

Category: Artigos

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*