BUILDBOT Blog

Saiba mais sobre o Arduino.

Arduino

Arduino é uma plataforma de prototipagem eletrônica de hardware livre (Esquema elétrico disponível para que os usuários possam criar o mesmo projeto), projetada com microcontrolador da Atmel e com uma linguagem de programação padrão que é denominada Wiring (baseada em C/C++) que também é um software livre, podendo também ser programada em outras linguagens.

O objetivo do projeto é criar ferramentas que são acessíveis, com baixo custo, flexíveis e fáceis de serem usadas por profissionais e amadores, o público principal do Arduino são aqueles que não acesso ou disponibilidade de uso ou estudo de controladores e ferramentas mais sofisticadas.

O hardware possui entradas analógicas, saídas digitais e PWM (Pulse Width Modulation), permitindo leituras de sensores e controle de outros dispositivos, pode ser usado para o desenvolvimento de objetos interativos autónomos ou não, ainda sendo possível conecta-lo a um computador.

O Arduino é composto basicamente por um controlador e uma interface serial ou USB para ser programado ou interligado. Também é possível combinar um ou mais Arduinos, para isso, usa-se as extensões chamadas de Shields.

História
O Arduino foi desenvolvido na Italia, precisamente na cidade Ivrea em 2005, com intuito de oferecer a possibilidade de se criar projetos escolares mais baratos que os sistemas de prototipagem disponíveis naquela época. O sucesso desse hardware foi tão grande que desde o inicio do desenvolvimento até outubro de 2008, foram vendidos mais de 50.000 placas.

Os hardware são produzidos com microcontrolador Atmel AVR, mas esse não é um requisito formal, hoje temos hardware com a assinatura Arduino utilizando processadores Intel e oferecendo todo suporte a plataforma. Considerando esta característica, muitos projetos paralelos se inspiram em cópias modificadas e essas versões acabam recebendo seus próprios nomes.

 

Características do Hardware
Sua placa consiste em um microcontrolador Atmel AVR de 8 bits, com componentes complementares para facilitar a programação e incorporação a outros circuitos. Um importante aspecto é a maneira padrão que os conectores são expostos, permitindo o CPU ser interligado a outros módulos expansivos, conhecidos como shields. Os Arduinos originais utilizam a série de chips mega AVR, especialmente os ATmega8, ATmega168, ATmega328 e a ATmega1280; porém muitos outros processadores já foram utilizados nas versões clonada.

 

Software
O Arduino IDE é uma aplicação multiplataforma escrita em Java derivada dos projetos Processing e Wiring, é esquematizado para introduzir a programação aqueles que não estão familiarizadas com o desenvolvimento de software.

Possui um editor de código com recursos de realce de sintaxe, parênteses correspondentes e identação automática, sendo capaz de compilar e carregar programas para a placa com um único clique.

Com o uso da biblioteca “Wiring” é possível programar o Arduino usando C/C++, isso permite criar com facilidade muitas operações de entrada e saída, tendo que definir apenas duas funções para fazer um programa funcional:

  • setup() – Inserida no inicio, na qual pode ser usada para inicializar a configuração;
  • loop() – Chamada para repetir um bloco de comandos ou esperar até que seja desligada;

Habitualmente o primeiro programa que é executado tem a simples função de piscar um LED mas a IDE possui diversas bibliotecas e exemlos para facilitar a programação, com ou sem shields.


/*
Blink
Turns on an LED on for one second, then off for one second, repeatedly.
This example code is in the public domain.
*/

// Pin 13 has an LED connected on most Arduino boards.
// give it a name:
int led = 13;

// the setup routine runs once when you press reset:
void setup() {
// initialize the digital pin as an output.
pinMode(led, OUTPUT);
}

// the loop routine runs over and over again forever:
void loop() {
digitalWrite(led, HIGH); // turn the LED on (HIGH is the voltage level)
delay(1000); // wait for a second
digitalWrite(led, LOW); // turn the LED off by making the voltage LOW
delay(1000); // wait for a second
}

 

Shields
São placas externas que podem ser conectadasstacked-shields a diversos modelos de Arduinos com a ideia de expandir portas, ou adicionar recursos não inclusos.

Existem diversos tipos e modelos de shields, os mais comuns são o Ethernet Shield para fazer conexão do Arduino a internet/rede, Bluetooth, Wireless para redes XBee, Relé Shield ou para acoplamento de sensores entre outros modelos (podendo ser adquiridos prontos ou seguir um projeto proprio).

 

 

Modelos

Temos uma vasta gama de modelos oficiais de Placas Arduino, Shields para Arduino, Kit Arduino e acessórios, mas nesse artigo iremos nos concentram nos principais produtos da empresa, o Arduino UNO e MEGA mas você pode conhecer todos os modelos acessando http://arduino.cc/en/Main/Products.

 

Modelos Arduino

 

Arduino UNO
Ideal para quem está começando, com essa placa você tem recursos para fazer projetos pequenos e grandes, concerteza se o projeto não for muito elaborado e que precise usar todas as portas, acho um pouco difícil, essa é uma ótimos opção para os iniciantes e para quem já usa normalmente.

Arduino UNO

Arduino UNO

Microcontrolador ATmega328
Tensão de operação 5V
Tensão de entrada (recomendada) 7-12V
Tensão de entrada (limites) 6-20V
Pinos de I/O Digitais 14 (6 deles com saída PWM)
Pinos Analógicos 6
Corrente CC por I/O Pino 40 mA
Corrente do Pino 3.3V 50 mA
Memória Flash 32 KB (ATmega328) 0.5 KB usado pelo bootloader
SRAM 2 KB (ATmega328)
EEPROM 1 KB (ATmega328)
Velocidade do Clock 16 MHz

 

Arduino MEGA
Comparando com as especificações com o Arduino UNO a primeira coisa que chama atenção é a quantidades de portas disponiveis no MEGA, ótimo para projetos grandes que utilizariam muitas portas ou uso de shields sem que haja algum tipo de conflito.

Na mesma linha do MEGA vamos encontrar também o ADK, basicamente a diferença entre eles é a possibilidade de fazer uma ligação com dispositivos Android.

Arduino MEGA

Arduino MEGA

Microcontrolador ATmega2560
Tensão de operação 5V
Tensão de entrada (recomendada) 7-12V
Tensão de entrada (limites) 6-20V
Pinos de I/O Digitais 54 (14 deles com saída PWM)
Pinos Analógicos 16
Corrente CC  por I/O Pino 40 mA
Corrente do Pino 3.3V 50 mA
Memória Flash 256 KB (ATmega2560) 8 KB usado pelo bootloader
SRAM 8 KB (ATmega2560)
EEPROM 4 KB (ATmega2560)
Velocidade do Clock 16 MHz

 

Projetos com o Arduino
Com diversos níveis de complexidade você pode criar soluções para residências, empresas, robótica (iniciantes, hobbystas e competidores), projetos com áudio e para pesquisas (umidade, temperatura, radiação, gases etc).

Veja alguns exemplo já publicados nesse blog:

 

Arduino Clone
Os desenvolvedores do projeto Arduino, exigiram que o hardware fosse livre entretando as placas desenvolvidas por terceiros não podem utilizar o nome Arduino.

Muitas placas clones podem ser encontradas no mercado, com funções identicas ou mais elaboradas, por exemplo, Severino, Sanguino, Freeduino, Seeeduino, Alevino entre outros modelos.

Nesse artigo você pode ter mais informaçoes sobre placas clones e genéricas.

Category: Artigos

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*