BUILDBOT Blog

Os limites do OpenHardware, quando a pirataria começa

Arduino Pirata“Marca Arduino, Arduino logotipo, design do site e desenho das placas são Copyright de Arduino SA e não podem ser utilizados sem autorização Formal.”

 

A placa que recebe o nome Arduino é fabricada na Itália pela Smart Project e algumas versões são fabricadas nos EUA pela SparkFun e em Taiwan/China pela Dog Hunter. O projeto Arduino teve início em 2005, o pensamento era de que placas eletrônicas pudessem ser acessíveis a todos, principalmente para estudantes que desejavam desenvolver projetos com poucos recursos financeiros.

É um projeto de hardware OpenSource (SHW), isto é, pode ser adaptado, implementado, verificado, refeito, distribuído, sem que seja necessário pedir autorização ou pagar quaisquer taxas aos criadores, utiliza a licença Creative Commons com alguns direitos reservados e o código fonte para a IDE e bibliotecas de funções utiliza GPL v2 (General Public License) armazenado no Google Code.

Isso significa que qualquer pessoa pode construir uma placa Arduino para seus projetos ou vender em sua loja?

Continue lendo

Robô mochileiro.

HitchBot é mais um robô criado para testar a bondade humana, o pequeno robô vai locomovar-se pelo Canadá pedindo carona aos seus alvos de estudo.

Criado pela Universidade McMaster e Universidade Ryerson, HitchBot não tem nenhum ponto óbvio de interação (como olhos), na verdade é um pouco pesado, volumoso e ridiculamente vestido usando botas vermelhas e luvas de jardineiro amarelas, mas a aparência estranha faz parte da pesquisa.

Pesquisas utilizando robôs para testar a intereção humana são frequentes, Bladdroid e Tweenbot são exemplos de robôs criados para esse tipo de estudo, mas são capazes de manipular os humanos apenas por serem bonitos, pequenos e envolventes, nesse caso a interação com os humanos é simples e direta, Bladdroid tem dois botões e faz perguntas simples com voz infantil, enquanto Tweenbot usa um sinal escrito para pedir ajuda as pessoas.

HitchBot vai depender da bondade das pessoas para poder se locomover, não ajuda com a gasolina e ainda pede para ser conectado á tomada de 9v do carro para se recarregar. Possui inteligência artificial e reconhecimento de fala e enquanto twitta sobre suas experiências, corre por mídias sociais e Wikipedia para torna a conversa interessante.

O projeto vai além de avaliar como os humanos interagem com os robôs pode eliminar algumas fobias gerada, a viagem de HitchBot esta marcada para dia 27 de julho, ele parte de Halifax – Nova Escócia e você pode acompanhar sua aventura pelo twitter.

Humanóide de interação

Asratec-handshake-1403017107471Asra C1 é um protótipo humanóide bípede de 1,2 metros de altura e 13,5 Kg, seus membros são movimentados por servos Futaba e possui giroscópio, acelerômetro e câmeras. Partes do corpo do robô são estofadas para torna-lo mais seguro na interação com os humanos.

O robô pode absorver choques e ajustar sua postura quando é perturbado, mas ainda não é capaz de andar, o que chama atenção é um par extra de braços em seu torse destinados para manipulação do usuário, onde o robô opera na situação de mestre-escravo.

Asra C1 pode ser controlado por joystick, modelo virtual 3D e ainda copiar movimentos utilizndo um sensor Kinect, o que torma esse robô mais um entreterimento do que para uso doméstico.
Continue lendo

Origami japonês da forma a robôs.

origami wheels-1402939747794O origami japonês é um conceito atraente para a robótica, pode transformar materiais tridimencionais em estruturas inerentemente flexíveis. Dois grupos de pesquisa apresentaram no ICRA de 2014 um sistema de rodas inspirado nessa antiga arte.

A Biorobotics Laboratory da Univercidade Nacional e Harvard Microrobotics Lab projetaram uma roda inteligente, ela pode alterar seus raio e diametro e permitir que o robô passe por cima ou por baixo dos obstaculos.

Continue lendo

VelociRoach o robô escudeiro

Pesquisadores da UC Berkeley e ETH Zurich apresentaram uma estratégia eficaz (mas cruel) para evitar quedas de grandes robôs em terrenos acidentados.

Equipes de robôs vão explorando os terrenos uns na frente de outros para ver se caem ou escorregam, os robôs pequenos vão a frente para no caso de uma queda o prejuizo não ser tão grande.
Continue lendo

Energia Delivery, um dos destaques da ICRA 2014

sddefaultVocê já deve ter visto diversas notícias sobre robôs entregando todo tipo de encomenda (até drogas), agora os pesquisadores da Universidade de Tóquio e Universidade de Keio liderada pelo professor Takeo Igarashi, pensaram em outro tipo de entrega, eletricidade.

A solução é basicamente utilizar robôs autônomos que oferecem eletricidade para docks de tomadas, onde os eletro-eletrônicos são ligados.
Continue lendo

Pepper, o robô companheiro

A empresa francesa de robótica Aldebaran apresentou seu novo humanóide, Pepper, projetado para entender como as pessoas estão se sentindo e agir de acordo.

Contruído para a SoftBank, uma gigante das telecominicações no Japão, o objetivo é vende-lo em fevereiro de 2015, Pepper será produzido pelo fabricante de eletrônicos Taiwanesa Foxconn (mesmo fabricante dos produtos Apple).

As ações de Pepper foram cuidadosamente pré-programadas, ele se move de forma tão suave que parece ter uma pessoas por dentro controlando seus movimentos, possui 1,2 metros de altura e pesa 28Kg, também é equipado com uma tela sensível ao toque e pode se comunicar em Inglês, Francês, Espanhol e Japonês.

O movimento de dedos, cabeça, joelhos, cotovelos, pulsos, ombros e quadril fica por conta de 20 motores, a cabeça possui quatro microfones, uma câmera, um sensor de profundidade 3-D, um giroscópio no Torso, sensores de toque na cabeça e nas mãos. A base móvel tem dois sonares, seis lasers, além de uma bateria que dura 12 horas.

Continue lendo

Agora as lâmpadas são impressas

lamp-1401845085137Esta acontecendo em Hong Kong a Conferência internacional de robótica e automação, esse ano os pesquisadores de Harvard apresentaram uma lâmpada de auto-montagem.

A lâmpada é  impressa e pode ser dobrada, inclui um interruptor mecânico e um sensor de toque capacitivo, sensores e estruturas da lâmpada, como fiação, também são impressos e auto-dobravéis.
Continue lendo

Ainda não voam, mas são um sonho futurista

google_car_1Veículos autônomos já são uma realidade, criado pela Google esse pequeno carro ainda não tem nome e sua principal característica e não possuir nenhum controle.

O pequeno carro acomoda duas pessoas e atinge a velocidade máxima de 40km/h, equipado com centenas de sensores é capaz de remover os pontos cegos e detectam objetos a uma distância de mais de dois campos de futebol em todas as direções, software realizam todo o trabalho de condução.

Continue lendo

Robô que se desenvolve como criança

1

Completando 10 anos de “vida”, o ICub é uma criança humanoide desenvolvida por mais de 25 centros de perquisa espalhados pelo mundo.

O pequeno robô possui 53 motores responsáveis pela movimentação das mãos, braços, cabeça, pernas, cintura e olhos. Ele também pode ver e ouvir ajudando no estudo da interação homem-maquina.

Continue lendo